quinta-feira, 1 de maio de 2008

Distúrbios e manifestações neonazistas marcam 1º de Maio na Alemanha


Ainda hoje prosseguem ações dos neo-nazista na Alemanha, vejam ataque em Hamburgo-Alemanha em comemoração ao dia do trabalho. pacv
Distúrbios e manifestações neonazistas marcam 1º de Maio na Alemanha
Publicidade

Colaboração para a Folha Online

O Dia do Trabalho na Alemanha foi marcado por distúrbios entre manifestantes de esquerda e a polícia em Hamburgo e Nuremberg, onde milhares de jovens fizeram manifestações neonazistas convocadas para a ocasião e consideradas "provocação" pelos sindicatos de trabalhadores.

Em Hamburgo, onde já na noite anterior tinham sido registrados os primeiros distúrbios, a polícia recorreu ao uso de cassetetes e jatos de água para conter os manifestantes de esquerda e os chamados "autônomos" ou radicais mais exaltados.

Cerca de dez mil pessoas atenderam à convocação de partidos, sindicatos e organizações civis para enfrentar a marcha do ultradireitista Partido Nacional Democrático (NPD, em alemão) pelas ruas de Hamburgo.

Cerca de 200 delas romperam o cordão policial que vigiava a marcha de 1.100 neonazistas que desfilava pela cidade. A polícia reagiu para evitar um confronto direto entre os dois grupos.
Patrick Lux/AP
Texto: Left wing demonstrators throw stones at German riot police forces during a May Day demonstration in Hamburg, northern Germany, on Thursday, May 1, 2008. (AP Photo/Patrick Lux)
Na Alemanha, manifestantes de esquerda enfrentam a polícia em evento do 1º de Maio

Em Nuremberg, cidade onde Hitler celebrou os grandes congressos do partido nazista, o NPD tinha anunciado uma manifestação parecida, contra a qual também se mobilizaram membros de partidos políticos -- incluindo a conservadora União Social-Cristã da Baviera (CSU, em alemão)-- e cidadãos.

Cerca de 10 mil contramanifestantes também se concentraram na cidade, enquanto a polícia tomava conta da marcha do NPD.

Pela manhã, em seu ato central, a Confederação de Sindicatos Alemães (DGB, em alemão) e o Partido Social-Democrata (SPD, em alemão) exigiram a proibição do NPD, a quem acusaram de tentar "roubar" o destaque do dia com as marchas neonazistas.

"É intolerável que a justiça e as administrações não possam impedir as provocações nazistas em nosso Primeiro de Maio", disse o presidente da Confederação, Michael Sommer, em Mainz.

A comunidade judaica também protestou contra a autorização da marcha neonazista de Nuremberg, pela simbologia dessa cidade para os ambientes ultradireitistas.

Véspera

Na véspera do Dia do Trabalho, na chamada Noite de Walpurgis, a polícia deteve ao menos 20 jovens de esquerda envolvidos em distúrbios em Berlim e outros 6 em Hamburgo.

Os distúrbios em Hamburgo aconteceram depois que jovens da denominada Rote Flora atiraram garrafas contra as forças de contenção policiais, incendiaram latas de lixo e quebraram os vidros de um banco local.

Um policial ficou levemente ferido, segundo afirmou Hansjoerg Draeger, porta-voz da polícia de Berlin. Dois carros foram incendiados.

Na capital alemã, a polícia considerou os distúrbios deste Primeiro de Maio pequenos se comparados aos que já ocorrem há mais de duas décadas no Primeiro de Maio no país. No ano passado, 120 pessoas foram presas na manifestação no Mauerpark.

"Todo mundo na Alemanha pode e deve usar seu direito de manifestação. Mas nós sempre ficamos felizes quando as coisas se mantém pacíficas".

Segundo Draeger, 4.700 policias foram posicionados em toda Berlim para monitorar qualquer manifestação que pudesse acabar em ataques.

Com Efe e Associated Press

Leia Mais by uol.com.br

Nenhum comentário: