sábado, 17 de maio de 2008

MORRE ZELIA GATTAI EM SALVADOR


Zélia Gattai: Prêmios e títulos da escritora baiana
>>Zélia Gattai: Obras publicadas
>>Zélia Gattai: A companheira inseparável de Jorge Amado
>>Jacques decreta luto de três dias pela morte de Zélia

A escritora Zélia Gattai Amado, 91, viúva do também escritor Jorge Amado, morreu na tarde deste sábado, 17, às 16h30. A informação foi divulgada pelo filho João Jorge Amado, por volta de 16h50, logo depois que chegou ao Hospital da Bahia, acompanhado de dois netos de Zélia.

O médico de Zélia, Jadelson Andrade, informou que a escritora teve uma parada cardio-respiratória, depois de evoluir com quadro de choque circulatório e não respondendo ao tratamento aplicado. O estado de saúde da viúva de Jorge Amado piorou desde a última sexta-feira, 16, e neste sábado, boletim médico informou que o quadro de choque circulatório era irreversível.

De acordo com a filha, Paloma Duarte, o velório será neste domingo, 18, durante todo dia. Ela informou que ainda não estava definido o local, mas que provavelmente seria no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Já a cremação seria na segunda-feira, 19, no mesmo local. No momento o corpo de Zélia está na capela do Hospital, onde só parentes têm acesso.

Tanto João Jorge como Paloma disseram que não vão esperar a chegada dos netos e parentes que estão fora de Salvador para fazer a cremação. Mas que poderão aguardá-los para a cerimônia de depósito das cinzas da escritora junto com as de Jorge Amado, que estão na Casa do Rio Vermelho.



Para João Jorge, a mãe teve um final de vida digno e sem sofrimento, já que estava sedada. Paloma disse que está sentindo uma dor enorme, mas que o fato da mãe não ter sofrido, consola ela. João Jorge disse que a família já esperava a morte de Zélia, pois os médicos tinham informado desde sexta-feira que ela estava em estado terminal.

Paloma lembrou o último momento que teve com a mãe antes da cirurgia desta quinta-feira, 15. Descrevendo para a imprensa, ela disse que Zélia leu uma carta de Naomar Almeida, reitor da Ufba, que seria lida durante concessão de título Doutor Honoris Causa para a escritora. "Ela sentiu uma alegria enorme, por ser uma mulher com curso primário com um título de doutora na Bahia, assim com meu pai (Jorge Amado)", diz Paloma. .

*Com informações de Luciana Rebouças, do A TARDE

Nenhum comentário: