sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Com morte de Artur da Távola, música erudita perde aliado



A perda de Artur ou Paulo como quisermos deixa uma brecha enorme, na sobriedade , caráter, cultura e simplicidade, na política, e na música .








Com morte de Artur da Távola, música erudita perde aliado
Publicidade
da Folha Online

O jornalista e ex-senador Artur da Távola morreu nesta sexta-feira aos 72 anos no Rio de Janeiro. Ele ficou conhecido por apresentar programas sobre música erudita. O jornalista era presidente da rádio Roquette Pinto, emissora pública do Estado do Rio de Janeiro.

Artur da Távola era o pseudônimo de Paulo Alberto Monteiro de Barros.

29.dez.00/Alexandre Campbell/Folha Imagem

Jornalista Artur da Távola, grande divulgador da música erudita, morreu aos 72 anos no Rio
Ele também apresentou na emissora, cuja freqüência é 94,1 FM RJ, o programa dominical "Esta Bossa Sempre Nova" e "Mestres da Música". Ele também apresentou e produziu "Vida e Obra de Rachmaninoff" às quintas-feiras.

Na rádio Senado, Távola veiculou o "Música do Brasil" e "Crônica Musical". Na rádio Cultura FM ele apresentou o "Música Clássica com Artur da Távola" aos domingos.

Távola também foi responsável pelo elogiado programa "Quem Tem Medo da Música Clássica?", na TV Senado, onde ele comentava a obra, o contexto histórico e a vida de uma série de compositores eruditos.

Além de seu trabalho com a música, Távola também era escritor. Em seu site, é possível encontrar alguns de seus poemas e de suas crônicas.

Em seu blog, o jornalista chegou a comunicar que estava doente e não iria continuar escrevendo.

Nenhum comentário: