sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Lula critica "letrados" que não investiram em políticas de alfabetização

O Sr. Presidente persiste em culpabilizar o passado,mas não se atem, ao presente
da enfermidade que assola o ensino público brasileiro; Isto sim é alarmante, e o mesmo não dá respostas a atualidade.O problema é grave e se estende de norte a sul de leste a oeste.O ensino Superior é outro retrato fatídico da privatização do ensino no país em que os matenedores pintam e bordam com o aval do Sr Ministro.Mestres e Doutores ja nao são absorvidos pela rede pública e muito menos pela privada,e quando o fazem reduzem o valor hora aula para estes.Onde está a lei que obriga a contratação de mestres e doutores em um terço do quadro?pacv



Lula critica "letrados" que não investiram em políticas de alfabetização
Publicidade
colaboração para a Folha Online

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condicionou nesta terça-feira a ausência de políticas de alfabetização no Brasil ao um "jeito de ver o país". Para Lula, isso deu-se por negligência de governantes anteriores que não teriam investido na erradicação do problema no país.

"Um grande país que há muito tempo já poderia ter sido construído não fosse a falta de visão de muitos dos nossos governantes", disse Lula durante discurso da cerimônia de formatura de alunos do programa "Todos pela alfabetização", em Salvador (BA).

"Tudo isso poderia ter sido resolvido há 40 anos, 50 anos, 60 anos... Afinal de contas esse país foi governado por muita gente letrada. O primeiro que não tem diploma universitário sou eu. Todos foram doutores que governaram esse país. Em uma demonstração de que não era ignorância não, era o jeito de ver o país: 'Tem uma parte da sociedade que não sabe ler mesmo, então deixa para lá'", afirmou Lula.

Lula disse ainda que a ações limitavam-se às crianças. "Para quê alfabetizar adultos? Vamos tentar alfabetizar só as crianças". Como se as pessoas que não tiveram oportunidade e estão com vinte, trinta, quarenta anos fossem obrigadas a ficar segregadas na ignorância porque o estado achava que elas não tinham mais jeito."

O presidente afirmou ainda que encontrou funcionários analfabetos tanto no Palácio do Planalto e como na Granja do Torto, quando assumiu a Presidência.

O programa "Todos pela alfabetização" conta recursos do Ministério da Educação e do governo da Bahia. Concentra-se em jovens a partir de 15 anos, adultos e idosos.

Nenhum comentário: