segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Alfarrábios de Mussa


Alfarrábios de Mussa BY MUNDO DO LIVRO
http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&pg=1&template=3948.dwt&tp=§ion=Blogs&blog=31&tipo=1&coldir=1&topo=3951.dwt

Alberto Mussa é um ficcionista .
Seus livros anteriores, que transitam entre ensaio, romance e tradução. O Enigma de Qaf, do segundo, contando uma história que mesclava uma ficção situada na Arábia pré-advento do Islamismo com um estudo rigoroso sobre a composição de um determinado número de poemas desse período — poemas que mais tarde Mussa traduziu na íntegra em um volume com o nome de Os Poemas Suspensos. Agora, Mussa retoma como tema de seu novo livro um assunto que o perseguiu desde os anos 1990: a cultura indígena dos tupinambás brasileiros. Meu Destino é ser Onça é um livro complexo, dividido em três partes. Na primeira, escolhendo elementos de vários relatos de viajantes do Brasil-Colônia que reproduziam mitos indígenas, Mussa "reconstruiu" o que seria uma versão original da mitologia tupinambá, o que incluía uma cosmogonia que aborda a criação do mundo, a origem dos astros e das estrelas e até de elementos da vida e da estrutura social dos índios, como o canibalismo. Na segunda parte, o autor enumera os textos que serviram de fonte para o trabalho, traduzidos quando necessário, como um depoimento do frade francês Thevet sobre o que viu em uma viagem ao Brasil e no contato com os índios. A terceira e mais polêmica parte é um estudo linguístico-antropológico, destinado mais a especialistas, sobre o cálculo usado por Mussa para escolher alguns elementos dessas fontes e dispensar outros na elaboração de uma narrativa única da origem do mundo segundo os tupis.

Nenhum comentário: