terça-feira, 23 de junho de 2009

Concurso de Cordel divulga nomes dos vencedores


Leia o cordel vencedor do poeta Adelmo Vasconcelos





Do JC Online

Cada ganhador receberá 100 cópias do folheto impressas pela Pantera Cordelaria
Foto: Divulgação O I Concurso de Cordel realizado pelo JC Online e pela União dos Cordelistas de Pernambuco (Unicordel), em parceria com a Pantera Cordelaria, teve dois ganhadores. A comissão julgadora, formada pelos cordelistas José Honório, Meca Moreno e João Campos, selecionou os trabalhos do professor Adelmo Vasconcelos e da agente de viagem Fátima Almeida. "Os folhetos estão muito bons, por isso decidimos deixá-los empatados no primeiro lugar", disse Meca Moreno.



SÃO JOÃO NO NORDESTE, O MELHOR DO BRASIL

Quem gosta de diversão
Com festa, muita alegria
Venha para o meu Nordeste
E você se contagia
Quando dançar o forró
Acompanhado ou só
Num mundo de fantasia.

Chame José e Maria
Veja quanta animação
Junho é mês de São Pedro
Santo Antônio, São João
Fogueiras e bandeirinhas
As moças animadinhas
Fazendo advinhação

E não falta procissão
As famílias reunidas
Roupas de pano estampado
Leves, soltas, coloridas
As praças cheias de gente
É um gostoso ambiente
Alegrando nossas vidas.

Deliciosas comidas
Pamonha, bolo de milho
Canjica, pé-de-moleque
Come pai e come filho
E pro céu iluminar
Espocam fogos no ar
Enchendo as noites de brilho.

Os versos em estribilho
De renomados cantores
Apresentam-se nos palcos
Mostrando dotes, valores
São os melhores artistas
Violeiros, repentistas
Encontro de mil amores.

Um arco-íris de cores
Embelezando o Nordeste
Na Bahia e Sergipe
Visite, faça um teste
Pernambuco, Alagoas
Vaqueiro de terras boas
De couro duro se veste.

Amo o azul celeste
Lá do Rio Grande do Norte
Paraíba tem xaxado
Maranhão tem o sol forte
E o Piauí será
Junto com o Ceará
Parceiros da boa sorte.

Achei um grande suporte
Na Bahia com axé
Festa do Interior
São João no Candomblé
Ivete, Cláudia Leite
O dendê que dá azeite
Pra fazer acarajé.

Em Sergipe eu ponho fé
Com seus bonitos folguedos
Batata doce assada
Pode queimar os seus dedos
Ciranda não sai de moda
Propriá, coco de roda
Com histórias e segredos.

E os melhores enredos
Vêm dos engenhos de cana
Em Alagoas, São João
Todo dia da semana
Traz o tom do moradores
Jardins cobertos de flores
São João, festa bacana.

A notícia não engana
A Paraíba é demais
As festas do mês de junho
São eventos principais
Lá se diz em um segundo
O melhor São João do mundo
Só Campina Grande faz.

O povão achou a paz
Na cidade de Natal
É no Rio Grande do Norte
A terra do sol e sal
Que São João pega fogo
Santo Antônio vira o jogo
Já no minuto final.

O Ceará tem astral
A terra de Iracema
No dia de São João
Sem disputa, sem problema
Quadrilhas e outras danças
Fazem festas, alianças
Como filme de cinema.

Cada assunto, cada tema
São marcas do Maranhão
Os matutos que se casam
Com humor, sem suspeição
Pra você que vai ou foi
Congada, Bumba-meu-Boi
Causam admiração.

Abra o seu coração
Venha ver coisas daqui
Terezinha, terra quente
Capital do Piauí
São João faz sacramento
Santo Antônio, casamento
Na bela, Piripiri.

Já li textos em Tupy
Fiz rezas pra Santa Inês
Cheguei em Caruaru
Sem porém e sem talvez
O São João da cidade
Acredite, isso é verdade
Dura mais do que um mês.

Aqui o povo tem vez
Planta-se a melhor raiz
Danças e artesanato
O que você quer e quis
Ao som de “Serrote Agudo”
Caruaru tem de tudo
Pra fazer você feliz.

Toca o sino da matriz
Na terra de Vitalino
O nosso mestre convida
Severina, Severino
Poeta Chico Pedrosa
Declama em verso e prosa
Um poema Cabralino.

Cada um tem seu destino
Veja na palma da mão
Caruaru apresenta
As belezas do sertão
Suas histórias e saga
O mito Luiz Gonzaga
Eterno Rei do Baião.

Ainda tem Azulão
E Quinteto Violado
Tem Santanna, Dominguinhos
Estrelas do nosso Estado
Show de luz e poesia
Não se ouve baixaria
Nem cantor desafinado.

Caruaru é lembrado
Por turistas verdadeiros
Bandas de pífanos tocam
Tiros de bacamarteiros
Não tem Rock de “Madonas”
Só conjuntos de sanfonas
De zabumbas e pandeiros.

Gostosos doces caseiros
E o mel de uruçú
Macaxeira, bode assado
A flor do Mandacaru
Atrações pra mais de mil
Maior festa do Brasil
São João de Caruaru.

A fama chegou ao Sul
No estrangeiro, também
Caruaru é famosa
Até em Jerusalém
Pra ver as coisas que narro
Você pode vir de carro
De avião ou de trem.

Essa cidade faz bem
Venha sentir o calor
O povo pernambucano
Sabe transmitir amor
Conheça o cenário belo
Canções de Maciel Melo
O “Caboclo Sonhador”.

Um outro compositor
Que é notável pra mim
Ele colhe seu sucesso
No seu bonito jardim
Você já está pensando
Claro que estou falando
É de Petrúcio Amorim.

Todo jogo tem um fim
Não gosto de zero a zero
Os artistas são queridos
Esquecer alguém não quero
Tempo de felicidade
Caruaru tem saudade
Do “Coroné Ludugero”.

A cada ano, eu espero
Sou visitante fiel
Eu nunca fui a Paris
Ver a linda Torre Eiffel
Caruaru tem cultura
Tem feira, Literatura
Dos folhetos de Cordel.

A palavra no papel
Parece, nunca termina
Há festas de São João
Em Limoeiro e Carpina
Arcoverde e Pesqueira
Afogados da Ingazeira
Em Salgueiro e Petrolina.

E esse ciclo germina
Em Catende e Nazaré
O povo fica animado
Dança o arrasta-pé
Come beiju, tapioca
E bolo de mandioca
Com munguzá e café.

Valei-me meu São Tomé
São João Evangelista
Meu São João da Escócia
E o São João Batista
São João do Carneirinho
Você que é tão bonzinho
Proteja este cordelista.


Ponha meu nome na lista
Anote meu endereço
Analise minha vida
Você vai ver que mereço
Sou um amante da paz
Da amizade, aliás
Essas coisas não têm preço.

Devemos rezar um terço
Formar a nossa imagem
Dar vivas a São João
Com muita fé e coragem
Pra você, cabra da peste
O São João do Nordeste
Merece esta homenagem.

Nenhum comentário: