REDES

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Os estandes de uma pessoa só


Enviado por Guilherme Freitas - 
14.9.2009
 | 
11h30m

Os estandes de uma pessoa só

O cordelista Abdias Nascimento, um dos autores que alugam estandes na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Foto de Fábio RossiNuma Bienal dominada até agora por escritores-celebridade (Meg Cabot, Thalita Rebouças) e celebridades-celebridade (Xuxa, Bruno Gagliasso), um pequeno grupo de escritores anônimos faz de tudo para conquistar seu quinhão de leitores. Concorrendo com os estandes amplos e superproduzidos das grandes editoras, eles ocupam cabines de quatro metros quadrados num canto do Pavilhão Laranja, no setor destinado pela organização do evento aos autores independentes. Sem a fanfarra publicitária que acompanha os convidados de honra da Bienal, os donos destes estandes-de-uma-pessoa-só precisam se virar para recuperar os R$ 1.750 desembolsados para manter o espaço durante os 10 dias de evento. 

O pernambucano Abdias Campos diz que a empreitada compensa o investimento (que no seu caso, incluindo gastos com passagens e com a pensão do outro lado da rua do Riocentro, chega a R$ 5 mil). Abdias trouxe do Recife 60 títulos de cordel - 55 escritos por ele e os outros pela esposa - com nomes como "A história do matuto Juvenal na cidade grande e a sua volta pro interior" e o educativo "Lixo: onde botar?".
Seja pela simpatia do autor, seja pelo figurino exótico que inclui um autêntico chapéu de couro, o público que passa apressado por aquele canto remoto do Riocentro acaba parando e deixando os R$ 2 cobrados por cada livrinho. As vendas são reforçadas por eventuais compradores de peso, como a Biblioteca do Congresso americano, que enviou um emissário atrás de um exemplar de cada título. 

Veterano de três Bienais, Abdias conta que a dureza em que vivem os autores independentes desperta a solidariedade entre eles: 

- Aqui temos amizades de outras Bienais. A gente sempre se ajuda. Quando um sai para o almoço, o outro fica de olho no estande para garantir.
Entre os vizinhos de Abdias, alguns apelaram para estratégias de marketing mais ousadas. Lúcia Soares, autora de "Núbia - Lembranças de minha adolescência", anunciado como "O LIVRO ERÓTICO MAIS VENDIDO DE 2009!", contratou meia dúzia de belas louras para "interpretar a protagonista" do romance em pleno Riocentro. Para desânimo do público masculino, porém, a "interpretação" das moças limita-se a ficar de pé em frente ao estande de Lúcia, distribuindo panfletos e autografando os exemplares que eventualmente são vendidos. by globo prosa e verso

Nenhum comentário: