domingo, 11 de outubro de 2009

Seu Jorge Em Lisboa

by Diário de Notícias Lisboa
O músico brasileiro trouxe os temas do seu último álbum, 'América Brasil', sucessos antigos e até um tema novo para o espectáculo de sexta-feira à noite, no Campo Pequeno, em Lisboa.

Sabem aquelas marchinhas de Carnaval que tocam nos bailes mais "brega" como Mamãe eu quero ou Cachaça? Pois foi exactamente assim, com todo o mundo aos saltos, brasileiros a sambar e portuguesa a contorcer-se como se também soubessem sambar, e a gritar pela Cabeleira do Zezé ou pela Maria Sapatão, que terminou o espectáculo de Seu Jorge, na sexta-feira à noite, no Campo Pequeno em Lisboa.
Passava das 23.30, o concerto propriamente dito já tinha terminado e até já tinha tido encore, os 14 músicos já tinham vindo despedir-se à boca do palco, mas como o público pedia mais, o brasileiro decidiu continuar a festa: "Vamos fazer o Carnaval em Lisboa?". Por esta altura, os fardados empregados da praça de touros já tinham desistido de mandar sentar as pessoas que estavam nas bancadas...
Baseado no seu último disco, América Brasil, o espectáculo abriu com as típicas cornetas da tourada e Seu Jorge e o seu "conjuntão pesadão" a entoar uns desafiadores olés, a que se seguiu a música com América do Norte, Samba Rock e Trabalhador Brasileiro. Não faltaram os mais populares temas deste álbum - Mina do Condomínio e Burguesinha - bem mo os sucessos antigos, quer os mais mexidos, como Mania de Peitão e Chatterton (de Cru), quer os acústicos Life on Mars e Rebel Rebel (versões de Bowie para a banda sonora de Peixe Fora de Água), com Seu Jorge e seu violão sozinhos no palco.
Apesar de todo o Carnaval, o músico fez questão de, como sempre, expressar as suas preocupações sociais, recitando Nego Drama dos Racionais MC's: "eu visto preto por dentro e por fora". O público cantou "bonito demais" , sobretudo em Carolina, É isso aí (aqui sem Ana Carolina) e São Gonça. E, bebendo uma "cervejinha para molhar a palavra" e desafiando a lei com um cigarro ao canto da boca, Seu Jorge aproveitou para tocar um tema de Carlinhos Brown (A Namorada), outro de Tim Maia (Sossego) e até para mostrar uma música nova, com "alto astral", que já está a tocar nas rádios brasileiras, Pessoal Particular. "É bom namorar", declarou Seu Jorge, o músico casamenteiro.

Nenhum comentário: