REDES

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Um milhão de iPads vendidos num mês

O iPad promete revolucionar a maneira como as pessoas interagem com o seu computador nos momentos de lazer (Kimberly White/Reuters)

Nota minha-
O Ipad j[a é comercializado por importadoras on-line aqui no Brasil, a Rede Tv já o usa nos seus telejornais.



A Apple vendeu um milhão de iPads desde que pôs o seu tablet à venda, há um mês. Esta marca causou surpresa, uma vez que os analistas estimavam que o produto só iria atingir a barreira dos 1,25 milhões de iPads em Junho. Mesmo o produto-estrela da empresa, o iPhone, só ultrapassou a barreira do milhão de unidades vendidas após 74 dias de comercialização.

O iPad promete revolucionar a maneira como as pessoas interagem com o seu computador nos momentos de lazer (Kimberly White/Reuters)

A Apple disse ontem que o seu tablet - um aparelho que combina a mobilidade de um smartphone com a rapidez de um portátil - atingiu o milhão de unidades vendidas após 28 dias de comercialização.

Os utilizadores já fizeram igualmente download de um milhão e meio de livros digitais e de 12 milhões de aplicações. Há mais de cinco mil apps disponíveis para iPad.

Devido à grande procura, a Apple já se viu obrigada a adiar, em um mês, o início das vendas internacionais. As encomendas internacionais podem começar a ser feitas a partir da próxima segunda-feira, dia 10 de Maio, e o aparelho será vendido em nove países no final do mês. Portugal não está incluído neste lote de países.

De acordo com declarações do analista Daniel Ernst do Hudson Square Research ao “The Guardian”, estas vendas excederam claramente as expectativas de Wall Street . A mesma fonte disse ainda que as estatísticas indicam que uma grande fatia dos compradores iniciais é composta por pessoas que já são fãs da marca Apple, desconhecendo-se por isso o comportamento das vendas a médio e longo prazo.

O iPad promete revolucionar a maneira como as pessoas interagem com o seu computador nos momentos de lazer. O dispositivo foi pensado em termos de consumo de media: revistas e jornais, jogos, livros electrónicos, músicas e filmes

Nenhum comentário: