terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Audiência na internet deve crescer 10% no Brasil em 2011, diz IAB Em 2010, as classes C, D e E já representavam mais de 52% da audiência na web

Claudia Tozetto, iG São Paulo


Em 2011, os brasileiros devem acessar mais a internet, seja porque os preços dos pacotes de de banda larga cairão ou por programas de governo que subsidiarão parte do valor mensal, como o Plano Nacional de Banda Larga. De acordo com o Interactive Advertising Bureau (IAB), a audiência na internet brasileira deve crescer 10% durante este ano, reunindo mais de 81 milhões de pessoas com 16 anos ou mais.

Divulgação

Gráfico mostra projeção do IAB para audiência da internet no Brasil em 2011
"2010 foi o ano de consolidação das redes sociais, dos clubes de compras e a internet pautou os principais acontecimentos do País, como a Copa do Mundo e as eleições", diz Fábio Coelho, presidente do IAB e também presidente do iG.

Em 2010, a audiência na internet brasileira foi de 73,7 milhões de pessoas. Deste total, as classes C, D e E já representam 52,8% da população que acessa a internet, enquanto as classes A e B, juntas, respondem por 47,2%.



Classe C, sozinha, já representa 44% da população que acessa a internet
Com isso, o IAB espera que as empresas invistam pelo menos 6,5% do total em publicidade na internet em 2011. "A TV continua tendo a maior participação na receita com publicidade", diz Fábia Juliasz, vice-presidente do segmento de fornecedores do IAB.

Dispositivos móveis

Apenas cerca de 1% da audiência na internet brasileira é gerada por dispositivos móveis, segundo o IAB. O motivo é o preço dos pacotes de dados que ainda são considerados caros. Além disso, apenas uma parte dos smartphones têm plano de dados (30%), mas Coelho acredita que esta seja uma das áreas com grande potencial para o mercado publicitário.

Ainda neste segmento, uma das vertentes que as agências apostam para 2011 é a publicidade por meio de aplicativos baseados na geolocalização do usuário, que incluem redes sociais como o Foursquare. Neste caso, os internautas buscam pontos de interesse a partir do local onde estão e, segundo as agências, a publicidade pode gerar mais resultados.

Siga o iG Tecnologia no Twitter

Nenhum comentário: