quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A CARA OU O CORPO OU O ESPELHO DO ALÉM

Vivemos um tempo do ter, no dinheiro, no status, e no aparato de um corpo, de um corpo abstraído de suas funções . O CORPO é o que identifica, abdome,perna coxa, peitoral, não mais o detalhe do rosto, mas da escultura abaixo da cabeça. O sexo diz o corpo , o erótico é o corpo, a cabeça ,o pensamento, o saber não diz o sujeito a identidade esta perdida ofuscada. As redes sociais são as redes do corpo, elas me dizem, me esculturam. Posa-se para dizer quem é. O estomago, o peitoral, o volume protuberâncias ou fendas destacam o sujeito para outros em busca deste androide. É o tempo do consumo da carne, d erótico, que não fala por palavras mas pela imagem e sua eficácia de formatação. As saliências, esculpimentos dizem mais do sujeito para outros que também seguem esta religião do corpo-erótico. É preciso TER para SER, e ter é esculpir erotizar-se estar atento ao sexo, ao sensual a ranhuras que a musculatura e pele dizem. Estamos em plena era do FRANKSTEIN. O nome pouco diz, muito menos a fala, o discurso, o saber e o pensar. Sucesso é o corpo amordaçado pelas fibras musculares que escravizam este sujeito com álibis de saúde , quando a saúde ta distante disto. Saúde,é também cabeça, que dirige este corpo e que o traça. Estamos no além, o além do sujeito integrado,sustentável na integração . O COPRO É MÁSCARA.

Nenhum comentário: