sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Um novo Mário de Andrade da cultura Brasileira – Agenor Vasconcelos Neto Lançamento Nacional – A Música das Cachoeiras Paulo Vasconcelos Morgana Dantas - Manaus- AM Em São Francisco, comunidade da Venezuela Agenor Vasconcelos Neto, apesar de ser um filósofo, UFAM, mestre na mesma área, trabalha com a cabeça de um antropólogo. Deixou Recife, cedo, foi para Roraima, de lá para o Amazonas, onde discutiu em seu mestrado a ritualística do Índio do Amazonas, tema de relevância Nacional. Mas isto não bastou, músico de qualidade, cria banda com outros mais - Alaíde Negão - conhecida no Norte do país, mas com apresentações em São Paulo e submete seu projeto A música das Cachoeiras ao Edital Nacional do Natura Musical. A proposta decorre de suas reflexões acerca da expedição do antropólogo alemão Koch-Grünberg nos anos de 1903 a 1913, nas comunidades do Alto Rio Negro e do Monte Roraima. A partir daí o jovem pesquisador, já comparado ao novo Mário de Andrade, na imprensa carioca, quando esteve lá, vai a campo e inicia sua pesquisa e coleta. O livro-CD, resultado deste resgate de campo, tem 3 horas e 40 minutos de música, entre as 79 faixas. Com isto, é possivel sentir um pouco a viagem através de fotos e depoimentos, músicas coletadas, nas 35 páginas da obra. Mas isto é apenas o primeiro pulo e extroversão de parte de todo material, diz Vasconcelos a Revista Brasileiros. “Apenas mil cópias estão à venda. O restante será distribuído em bibliotecas, escolas públicas e entre comunidades que participaram… Haverá um website, cujo endereço será divulgado em breve, em que se disponibilizará todo o conteúdo do projeto para download gratuito, ocasião do lançamento oficial no dia 6 de dezembro, na Estação Cultural Arte – Manaus - AM. Perguntado, ainda, pela Brasileiros se considerava-se um novo Mário de Andrade, diz ele “… que é isso!!!! (e ri) não gosto de comparacões, Mário foi um grande pesquisador da cultura do nosso Norte e Nordeste e até do estado de São Paulo, mas não tenho interesse literário, como ele teve, destacadamente na sua obra geral , agora as Incursões Iconográficas de Mário foi um projeto político, da Secretaria de Cultura de São Paulo, inicialmente, numa dimensão muito maior que a nossa ,na Música das Cachoeiras. Essa história de novo Mário, até agradeço a comparação, mas não aceito, uma coisa é uma coisa, eu sou outra, outro momento da história do Brasil e de nossa região Norte, o que temos de comum, (diz Agenor rindo) é o gosto e peso valor da cultura nacional”

Nenhum comentário: