quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

TEMPOS DA DESIDRATAÇÃO Antonia S. Catuca .Universidade da Seca- Rede Coloseco Br.



Há muito que estamos em processo de desidratação. Tempos de transmutação. Desde a carne de sol, seca, frutos e verduras. A Alquimia nos ajudou, ou compôs  a retirada da água .Já, em grande parte da   população, toma –se água comprada mineral, embora muitos bebam água do pote ou da torneira. Mas a chamada mineral está envazada em PLASTICOS e o que não está? O plástico venceu o vidro a argila e também o bebemos, como os animais, da terra-solo- e oceanos. Formamos uma capa de plásticos sobre os oceanos

Desidratamos a terra, fizemos uma grande capa de cerâmica sobre o solo e a água já não a penetra por igual, nem tampouco respira, as ervas não espocam fácil sobre o solo e nela não mais insistem. As grandes cidades são espécies  de pântanos desidratados, respiramos o pó do processo de desidratar. A saúde foi pelo ralo, tudo, ou quase tudo do mundo fármaco é que se nos presta como natureza(?) e assim acredita-se. Viramos reféns da farmácia, elas se proliferam por todos os lados como supermercados de SER E ESTAR em que confunde-se beleza, saúde,   limpeza e produtos naturais(?), e afinal o que restou do NATURAL, da NATUREZA.??

A longevidade, para uns, é fruto de um ser –prótese- amalgamado pelos fármacos, próteses de metais os mais variados, cospe-se desidratado.

A educação foi desidratada pela tutoria da mídia, por escolas e universidades que blindam o conhecimentos para vários cones, o papel, título acadêmico, para ser tekchnos, das tecnologias e seus ufanismos endeusados pela palavra desidratada das chamadas redes Sociais. A educação é nos games e na desidratada seca da distância.

A política foi obliterada pela economia, já não se discute na politica, segue-se pela força –forca- do poder.

A globalização é a desidratação do poder num novo colonialismo mundial e do hiperespaço , que abrande do ciberespaço terráqueo ao espaço sideral.
Somos obesos, malhados de desidratamentos e sorrimos sem sabor de saliva.

A filosofia é abafada, nas escolas nas academias, mas esta insiste, mesmo sem um caudoloso provimento. A Autoajuda o marketing  publicitário nega-a... como o inútil não produto, nem negócio. A palavra é .....?

A psicanálise rende-se a desidratação dos fármacos, o desejo é lavado a seco nas salmouras de resiliência do imaginário e simbólico, num real seco mudo.
O homem nem mente nem diz veritas, tudo é o mesmo é desidratado, como os cadáveres em decomposição ou sobre a ação do fogo que vai além do desidratar , queima-se, queimamos  a água ela ferveu e somos reféns do poder  da alquimia que o poder levou a auto-degola, ou não?
Para quem escrevo isto? Tenho sede.... estou em São Paulo, estou com dengue?


Nenhum comentário: