quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Melhores(?) dos últimos dez anos.




Melhores obras dos últimos 10 anos

Não sou afeito a falar dos melhores, nem dos piores, acho inseguro, e às vezes inútil; é querer sempre compartimentar o nao compartimentável, é querer criar estereótipos, mas uma revista pediu-me e não publicou, assim aproveito para enviar a minha relação, correndo os riscos que assumo, todos, esclareço que considerei poemas, ensaios e romances.

MELHORES - ÚLTIMOS 10 ANOS-


1-O vento que arrasta –(2015 )Selva Almada-Cosac.
Chaco Argentino,estrada.Súbito problema no carro, pai e filha fazem uma parada na oficina mecânica - Gringo, local onde se desenrolará  a trama. Conhecem o jovem ajudante Tapioca. O divino e o cotidiano e  o imaginário, medeiam a vida dos personagens. A obra, com poucos personagens, finca um uma narrativa de beleza humana, ao mesmo tempo realista,contundente, como não se via na literatura Argentina, surpreendendo-nos com tamanha atualidade universal.

2-Eles eram muitos cavalos (2001),  Luiz Ruffato-,Boitempo.

Luiz Ruffato busca numa narrativa explosiva sintetizar algo não sintetisável, por sua absurda complexidade: a cidade de São Paulo. São 69 episódios em que  Ruffato usa de recursos formais para construir uma  narrativa de  caos e seus personagens comuns e absurdos,” gente habituada a ser coadjuvante em sua própria biografia”.

3-Becos da memória (2006), de Conceição Evaristo-,Mazza Edições

O desmonte  de favela em Belo Horizonte, a partir de entao a autora faz aparecer um conjunto de personagens, com destaque para as mulheres, que se deslocando e nas suas falas carregam consigo seus corpos e suas histórias. Uma sistese de um brasil anonimo e gritante.
4-Vermelho Amargo( 2009)- Bartolomeu Campos de Queirós-Cosac.

5--Desgraça J.M. Coetzee(2000) Cia das Letras.

6- Os Cus de Judas (1980) – Antonio Lobo Antunes (1942). Ed. Marco Zero

7-Geografia do Romance (2007)- Carlos Fuentes.Ed Rocco.

8-Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra.(2003) Mia Couto.Cia das Letras.

9- Casa de Papel (2006) Carlos Mariá DominguézEd –Francis.

10-Poesia Completa Manoel de Barros(2010) Ed Leya


A obra contém toda sua produção até 2010, são vinte e um livros,,em que o poeta fala dos deslimites da palavra, a medida que aciona uma poética do falar nacional seu imaginário e o canto da terra e seus convivas, é um elogio ao verso simples com um estardalhaço lírico pouco antes visto em nossa literatura.

Nenhum comentário: