REDES

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

A MENTIRA DAS REDES SOCIAIS





PORTAL CORREIO



Os Franceses são expert no conceito de alteridade, inclua-se aqui Phillipe Breton, D. Wolton e por assim ser, eles criticam desde a internet a aquilo que se carnavalizou em chamar de- REDES SOCIAIS-pois não se aplica o tal conceito de alteridade.

O FACEBBOK por exemplo fatura com sua denominação de rede social, que não é, mas crava-nos regras bobas de limites de convites castigando o usuário por exceder os convites.Que rede social é esta?A desculpa são spans.

Isto é a brincadeira dos BOYS Americanos, incluso um Brasileirinho americanizado, que inventaeam o Face e daí nos submetemos como bestas humanas por ter um exército de pessoas que você nã conhece e pode estabelecer contato e fazer seu maketing,ou mesmo reatar velhos amigos, e assim insistimos em admitirmos sermos estas bestas carregadas por esta carroça destes americanos do além.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

O DIREITO DO CONSUMIDOR

Precisamos estar mais atentos aos nossos direitos.Cidadania se faz assim, não é apenas com voto, o voto no dia a dia é o exercício dos seus direitos, entre eles o do consumidor.Os grandes capitalistas das Indústrias precisam aprender uma lição de respeito para quem dar lucro a eles e para futuros consumidores .Fique atento, defenda, brigue pelos seus direitos, isto faz diferença a uma sociedade.
Leia seus direitos no Código de Defesa do Consumidor, não deixe passar fagulha.Eles te mandam para o Serasa, por fagulhas, portanto devolvemos com o mesmo .
Leia o rótulo dos seus produtos, reclame, cri caso, seja exigente.
Vivemos numa sociedade do CONSUMO, e para isto temos que ser atentos e fortes, não temos tempo de temer a eles, parodiando Caetano.
Ponha a boca no Trombone.As chamadas Redes Sociais, são para isto,fale denuncie.
O meu , o nosso direito, ninguém toma.Fique atentíssimo, e assim tentamos fazer uma democracia.
Seus direitos trabalhistas idem, faça valê-los na integra, não vacile, são seus os direitos, cobre, cobre na mesma medida que os patrões nos cobra e a vezes em duplicidade.
No meu caso , a última briga foi com a SAMSUNG E SUBMARINO.Não cansarei em denunciá-los.Meu dinheiro tem origem de força de trabalho, stress e prontidão.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

sábado, 5 de novembro de 2011

PRÊMIO INTERNACIONAL POESIA AO VÍDEO

POR FLIPORTO


O curador da Fliporto, Antônio Campos, a coordenação e a comissão julgadora têm a alegria de comunicar o resultado da quinta edição do PRÊMIO INTERNACIONAL POESIA AO VÍDEO, ao tempo em que parabenizam a todos e agradecem pela bela campanha empreendida pelos concorrentes em 48 horas de votação. A votação encerrou, mas a Festa está apenas começando. Deixamos aqui o convite para a grande confraternização que aconterá na tradicional Festa de Prêmios que será transmitida ao vivo para a Internet.
Data: 15 de novembro de 2011.
Hora: a partir das 14h
Local: Instalações da Fliporto Digital. Biblioteca Pública de Olinda‎. Avenida Liberdade, 100 – Praça do Carmo, Olinda – PE, 53020-030

EDIÇÕES CONCORRENTES 2011

EDIÇÕES CLASSIFICADAS

1˚ LUGAR: Niti Merhej (editor responsável),SP, “O Carteiro e a Poeta”, poema de Niti Merhej – 34074 (40.4%)
2˚ LUGAR: Eliane Garcia (editor responsável), RJ, “Eu não escrevo versinhos para o papai”, poema de Maira Parula – 28965 (34.34%)
3˚ LUGAR: Cátia Cunha e Silva (editor responsável), Portugal, “A Tristeza”, poema de João Negreiros – 13915 (16.5%)
4˚ LUGAR: Gustavo da Silva Monteiro (editor responsável), PE, “Os ossinhos no baú”, poema de Gustavo da Silva Monteiro – 3186 (3.78%)
5˚ LUGAR: Maria das Graças Carpes (editor responsável), RJ, “Dentro e Fora”, poema de Maria das graças Carpes – 2161 (2.56%)
6˚ LUGAR: Ricardo Sêco (editor responsável), SP, “Ela amava as coisas”, poema de Heitor Ferraz Mello – 830 (0.98%)
7˚ LUGAR: Eliana Mora (editor responsável), MG, “Ele nasce de um amor desconhecido”, poema de Eliana Mora – 650 (0.77%)
8˚ LUGAR: Victor Dreyer (editor responsável),PE, “Somos a cor e o som do português”, poema de Victor Dreyer – 298 (0.35%)
9˚ LUGAR Lucia Helena Ramos: (editor responsável), RJ, “Penélope”, poema de Lucia Helena Ramos – 147 (0.17%)
10˚ LUGAR Rui Werneck de Capistrano: (editor responsável),PR, “Deixe Passar”, poema de Rui Werneck de Capistrano – 115 (0.14%)

EDIÇÕES CONCORRENTES

Alexander Lima, SP , “OLHODOLHO”; Alexandre José Lira de Morais, PE, “LIBERDADE CONDICIONAL”; Ana Cristina Cesar, RJ, “APONTAMENTOS SOBRENATURAIS”; Ana Cristina Mendes Gomes, RJ , “AOS DISTRAÍDOS!”; Andeson Matias, PE, “BANQUETEAR-SE”; Bernardo Luis Frota Vieira, RS, “ELFA”; Beto Miranda, PE, “MINHA CASA, MINHA VIDA”; Bruna Martins, SP, “AMOR ECOLÓGICO”; Bruno Borja, RJ, “FURTA-TE”; Cátia Cunha e Silva, PT, “A TRISTEZA”; Cristovam Tadeu Martins, SP, “LÁGRIMA”; Danielle Sibonis, RS, “FECHEI TODAS AS PORTAS”; Davi de Carvalho, CE, “EPIDERME”; Eliana Ferreira de Castela, MG, “AS PENÉLOPES URBANAS NÃO TÊM AJUDA DOS DEUSES”; Eliana Mora, MG, “ELE NASCE DE UM AMOR DESCONHECIDO”; Eliane Garcia, RJ, “EU NÃO ESCREVO VERSINHOS PARA O PAPAI”; Felipe Cerquize, RJ, “SONETO PARA DEUS”; Flávio Machado, RJ, “IMPROVISO”; Gustavo Monteiro, PE, “OS OSSINHOS NO BAÚ”; Gustavo Stresser Costa, PR, “PALAVRA FECUNDADA”; Guy Santos, PB, “AMOR BARATO”; Haroldo Abrantes, BA, “ÁGUA”; Israel Costa, PE, “POETA”; Jô Serfaty, RJ, “ESTAÇÃO DA CARIOCA”; João Negreiros, PT, “ÉPICO COMO O TEU ROSTO”; Jorge Carlos Amaral de Oliveira, RJ, “CANDELÁRIAS”; Larissa Daiane Pujol, RS, “INCONTINGENTIA LEGENDAE”; Luanda Achôa, SP, “QUANDO”; Lucia Helena Ramos, RJ, “PENÉLOPE”; Marcello Silva, PE, “TSUNAMI HUMANO”; Maria das graças Carpes, RJ, “DENTRO E FORA”; Nathalia Wigg, RJ, “HOJE”; Niti Merhej, SP, “O CARTEIRO E A POETA”; Raul dos Santos Neto, MG, “ESSA MULHER”; Renan Lélis, SP, “ROSA DO MORRO”; Ricardo Sêco, SP, “ELA AMAVA AS COISAS”; Ronaldo de Oliveira Silva, SP, “BANDEJÃO”; Rui Werneck de Capistrano, PR, “DEIXE PASSAR”; Sarah Castelo Branco, BA, “O QUE NASCE COMIGO”; Sonia Pires, PE, “VIAGEM”; Thiago Baldissera Damião, PR, “O PONTO DE ÔNIBUS”; Vera Passos, BA, “VERTIGEM”; Victor Dreyer, PE, “SOMOS A COR E O SOM DO PORTUGUÊS”; Yuri J. Manique, PE, “ARMAS EM JOGO”

Créditos do 5º Prêmio Internacional Poesia ao Vídeo
Gestor: Antônio Campos
Comissão Julgadora: Antônio Campos, Haidée Camelo, Alexandre Figueirôa
Equipe Técnica: Felipe Marques e Rodrigo Coutelo
Monitoramento: Andréia Caroline Pereira de Oliveira
Criação, edição e coordenação: Cláudia Cordeiro

Vem aí o Ano Jorge Amado 18.08.2011 - Isabel Coutinho

POR IPSILON PT



Em 2012, comemora-se o centenário do nascimento de Jorge Amado e passam 110 anos do nascimento de Drummond de Andrade. No Brasil, prepara-se um filme, exposições e novas edições

Uma carta inédita que Jorge Amado (1912-2001) escreveu para Zélia Gattai, de Paris, em 1948, quando o militante do Partido Comunista Brasileiro estava no exílio, pode ser lida em Blog da Companhia, o blogue da editora brasileira que desde 2008 publica a obra do escritor baiano. "Minha negra querida: toda a saudade do mundo. Há uma semana que não tenho cartas tuas. Recebi recortes de S. Paulo, pela letra conheci terem sido enviadas por ti, donde depreendi que já estavas em S. Paulo. Mas depois da carta começada no sítio e terminada no Rio, não recebi nenhuma outra e estou preocupado." Faz parte do livro Jorge & Zélia, que será publicado em Agosto de 2012, e foi divulgada no blogue para assinalar o início da apresentação das comemorações do Ano Jorge Amado na semana em que o baiano faria 99 anos de idade.

"A ideia é que este ano não acabe nunca", brincou Cecília Amado, neta do escritor, durante a conferência de imprensa onde foi apresentado o programa. Ela é a realizadora e a argumentista do filme Capitães da Areia, baseado no livro homónimo que o seu avô escreveu em 1937 e que é um dos pontos altos das comemorações. O filme (www.capitaesdaareia.com.br) deverá ser apresentado pela primeira vez no Festival do Rio e estreia comercialmente no Brasil a 14 de Outubro, ainda no decorrer do festival, que se estende de 6 a 18 de Outubro. O produtor português Tino Navarro, da MGN Filmes, é co-produtor desta longa-metragem que tem participação da RTP e apoio do Instituto do Cinema e do Audiovisual. Estreará nas salas portuguesas em Novembro, ainda sem data definida, mas com estreia tão próxima do Brasil quanto possível.

Os actores, que interpretam Pedro Bala, Professor, Gato, Sem-Pernas, Boa Vida e Dora têm entre 12 e 16 anos e foram escolhidos pela realizadora em várias ONG de Salvador que trabalham com dança, capoeira e teatro. Numa entrevista ao jornal O Globo Cecília Amado explicou que não seguiu o livro à risca. "Muitas histórias estão resumidas num olhar, numa personagem", disse Cecília, que escolheu Carlinhos Brown para a banda sonora deste seu primeiro filme.

Para Tino Navarro, o filme traz o "olhar de quem acredita que as pessoas são boas naturalmente e que é a fome e a exclusão que as leva a praticar actos menos dignos". Mesmo quando o fazem "não perdem a dignidade." Lembra que é a visão tradicional do neo-realismo de raiz de esquerda, que reproduz a luta de classes, os conflitos internos no grupo das crianças e é também um olhar que as mostra como vítimas da sociedade, sem que se deixe de ter esperança neles. "Ao contrário de outros filmes que foram sendo feitos sobre a realidade brasileira e já não têm esse olhar, que é hoje mais cínico e mais desencantado", afirma o produtor.

Samba & fotografia

Outro dos momentos mais importantes que marcarão o centenário do nascimento do autor de Gabriela, Cravo e Canela - livro de 1958 que dará origem também a um musical encenado por João Falcão - é a exposição Jorge, Amado e Universal que em Março ocupará parte do Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, onde ficará até Julho. Irá depois para o Museu de Arte Moderna de Salvador até Outubro de 2012 e passará ainda por Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e três países estrangeiros, ainda não revelados. O curador da exposição é o director do Instituto Brasil Leitor, William Nacked. A exposição terá quatro temas: Jorge por Jorge,Jorge por Terceiros, Jorge Internacional e A Produção de Jorge.

Na editora brasileira Companhia das Letras sairá a versão ilustrada das suas memórias, Navegação de Cabotagem (1992), com fotografias que a artista suíça Hildegard Rosenthal fez do escritor, que começou a trabalhar aos 14 anos como jornalista do Diário da Bahia, e com apenas 18 anos publicou o seu primeiro romance,O País do Carnaval. E ainda sairá o primeiro volume do Catálogo Fotográfico de Zélia Gattai - A Casa do Rio Vermelho, que tornará públicas mais de mil fotografias do escritor com a família em Salvador. Em Portugal, a Dom Quixote publicará novas edições dos livros mais emblemáticos do autor de Dona Flor e Seus Dois Maridos (1966), tal como já fez com Os Subterrâneos da Liberdade (1954).

Em Fevereiro, Jorge Amado será tema da escola de samba do Rio de Janeiro, Imperatriz Leopoldinense, e também tema do Carnaval de Salvador. Na próxima segunda-feira inicia-se o Curso Jorge Amado 2011 - I Colóquio de Literatura Brasileira, promovido pela Academia de Letras da Bahia e pela Fundação Casa de Jorge Amado. E em breve estará a funcionar o portal http://www.centenariojorgeamado.com.br com toda a programação do centenário.


João Ricardo Pedro vence Prémio LeYa 2011 18.10.2011 - Isabel Coutinho e Cláudia Carvalho

por ipsilon PT
"O teu rosto será o último" é o romance de estreia do escritor

O escritor João Ricardo Pedro é o vencedor do prémio LeYa 2011, com o romance "O teu rosto será o último", anunciou hoje o júri, presidido por Manuel Alegre, em Alfragide no edifício sede da editora.

Depois de no ano passado, o júri ter decidido não atribuir o prémio, invocando falta de qualidade dos textos apresentados a concurso, João Ricardo Pedro torna-se no terceiro escritor distinguido com o prémio, ao qual concorreram este ano 162 romances. "O teu rosto será o último" é o livro de estreia do autor, que não tinha até agora nenhuma obra editada, tendo sido escolhido por maioria. "É a minha primeira obra, a minha primeira tentativa de fazer qualquer coisa", diz ao PÚBLICO João Ricardo Pedro, revelando que estava confiante numa vitória. "Se não estivesse à espera, não tinha concorrido."

"É um livro arriscado e que facilmente toca as pessoas que o lêem e acho que o júri foi tocado", continua o escritor, que achava que podia ganhar, notando no entanto que não leu nenhuma das outras obras a concurso.

O júri foi constituído pelos escritores José Castello, Nuno Júdice e Pepetela; o professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, José Carlos Seabra Pereira; Lourenço do Rosário, reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo; e Rita Chaves, crítica literária e professora da Universidade de São Paulo.

O Prémio Leya foi criado em 2008 no sentido de distinguir um romance inédito escrito em português.

O prémio, de 100 mil euros - e que é o maior em valor pecuniário no domínio da literatura de expressão portuguesa -, foi criado em 2008 com o objectivo de distinguir um romance inédito escrito em português. Nas duas primeiras edições foi conquistado pelo brasileiro Murilo Carvalho, com a obra "O Rastro do Jaguar" (2008), e pelo moçambicano João Paulo Borges Coelho, com "O Olho de Hertzog" (2009).