REDES

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

EXPLICANDO AOS NOSSOS LEITORES O BLOG


Livro - Relações Obscenas, as revelações do The Intercept Capturas do Face



http://bit.ly/2kpq6AU 

Angela Carrato nos manda pelo Facebook aviso de lançamento Livro-17 de setembro, às 18:30, na Faculdade de Direito da UFMG

*Livro Relações Obscenas, as revelações do The Intercept será lançado em BH amanhã, em Beagá. O lançamento será precedido de debate com os autores mineiros, envolvendo direito e mídia.
O Instituto Defesa da Classe Trabalhadora (Declatra/MG) e a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia – Núcleo Minas Gerais lançam nesta terça-feira, 17 de setembro, às 18:30, na Faculdade de Direito da UFMG, o livro Relações Obscenas, as revelações do The Intercept/BR, coordenados por Wilson Ramos Filho, Maria Inês Nassif, Hugo Cavalcanti Melo Filho e Mírian Gonçalves.
Os mais de sessenta autores analisam as revelações contidas no The Intercept e abordam as relações entre Ministério Público Federal, Poder Judiciário e integrantes da extrema direita brasileira. Uma das coordenadoras da publicação, Maria Inês Nassif destaca o ditado popular para representar o atual cenário no país: “aos amigos, tudo; aos inimigos, a lei”. Para ela, a lei varia a depender do objetivo político de quem a executa.
“A subversão institucional, o desapego às garantias democráticas, o poder de coação policial e política, os interesses em jogo, o grau de destruição do país e de seu povo, o desprezo à soberania nacional e a total ausência de humanidade são elementos que retratam a história brasileira atualmente”, conclui.
São coautores da obra, os mineiros: Eliara Santana (jornalista e doutoranda em Estudos Linguísticos); Ângela Carrato (professora do Departamento de Comunicação Social da UFMG); Isabela Corby (pesquisadora da Linha História, Poder e Liberdade da Faculdade de Direito e Ciências do Estado pela UFMG); Alexandre Bahia (professor-adjunto do Departamento de Direito da Universidade Federal de Ouro Preto e do IBMEC-BH); Marcelo Cattoni (coordenador do Programa de Pós-Graduação da UFMG); Eder Bonfim Rodrigues (membro do Instituto Brasileiro de Direito Constitucional); Leonardo Isaac Yarochewsky (mestre e doutor em Direito pela UFMG).
*Lançamento do livro Relações Obscenas, as revelações do The Intercept/BR*
17 de setembro – 18:30
Faculdade de Direito da UFMG
Av. João Pinheiro 100, Centro – BH/MG

Opinião Pernambuco Clarice Lispector -A Paixão Segundo G.H. - 50 Anos


TV UNIVERSITÁRIA - RECIFE, PE- A MAIS ANTIGA TV PÚBLICA DO PAÍS

CRÍTICA AO DESASTRE DO BRASIL- CANNES-

PALAVRAS DE GRANDES BRASILEIROS DO NORDESTE (DO BRASIL) E SUAS CRÍTICAS AO ATUAL DESGOVERNO DO PAÍS.
Vale ver todo vídeo...vejam

domingo, 15 de setembro de 2019

FATOS DA SEMANA 14.09 2019 Recuento: ¿Quién pone los límites a Israel?

Índice de aprovações despencou -BOLSONARO-




FOTO: CAROLINA ANTUNES/PR

ATÉ QUANDO SUPORTAREMOS UMA EXCRESCÊNCIA DESTA NO MAIOR PAÍS DA A. LATINA,PRODUZINDO A DETERIORAÇÃO DO BRASIL E BRASILEIROS SENDO DIZIMADOS.MEIO AMBIENTE EM MORTE E XENOFOBIA


Vejam matéria CARTA CAPITAL-COMPREM A REVISTA !


Índice de aprovações despencou de 57% para 41%; decreto de flexibilização da posse e do porte de armas é principal queixa

O índice de avaliação negativa sobre o governo de Jair Bolsonaro (PSL) subiu de 19% em fevereiro para 39,5% em agosto, segundo pesquisa de opinião divulgada pela CNT/MDA, nesta segunda-feira 26.
O número de pessoas que classificam o governo como ótimo ou bom é de 29,4% dos entrevistados, um número 10% abaixo em comparação aos que consideram a gestão ruim ou péssima. A porcentagem dos que avaliam o governo como regular é de 29,1%.
O estudo também mostrou que o número de eleitores que desaprovam o desempenho pessoal de Bolsonaro é de 53,7%, quase o dobro dos 28% apresentados em fevereiro deste ano. O índice dos que aprovam o governo é de 41%, 16 pontos a menos que no início do ano, quando o presidente da República marcou 57% de aprovação.
Para 22,4%, não há nenhuma ação positiva no atual governo. Apenas 6% dizem que a gestão não apresenta nenhuma ação negativa.
http://bit.ly/2kMNPuL

A BOA PAMONHA EM TEMPOS DIFÍCEIS capturas do FACE

como montar 



O prof Aldo Ambrozio ,por seu face,  envia-post de MICHEL .C LABAKI- palavras em crônica boa,vejam abaixo:

Crônica brilhante do amigo Michel Chebel Labaki:
“CENA PAULISTANA 4
Hoje cedo estava na fila da lotérica do Shopping Butantã, quando uma das funcionárias avisou que o sistema estava fora do ar.
Pediu que fosse formada uma fila única até o sistema voltar. As três filas, incluindo a de idosos e a fila só para jogos se transformaram numa fila só.
Metade das pessoas desistiram e eu fiquei um pouco mais pensando que não adiantaria procurar outra lotérica, uma vez que o sistema deveria ter caído para todas as lotéricas da região.
Na minha frente estava uma senhora que também resolveu ficar e esperar o sistema voltar.
Aí começamos a conversar, aquelas conversas típicas de quem está na fila esperando o sistema voltar.
Ela puxou assunto:
-- Será que vai demorar? Preciso apenas pagar uma conta de luz, que vai vencer no dia 25, mas eu gosto de pagar antes para ficar livre dessa preocupação.
-- Não deve demorar muito não. Vou esperar um pouco. Quero dar um palpite na Mega Sena. O prêmio está acumulado em R$ 100 milhões, o que é uma quantia que poderá melhorar meu fim de semana.
-- Eu não. Só quero pagar esta conta e voltar para o meu trabalho. Será que o Carrefour aceita pagamento de contas?
-- Acho que não. Acho que eles só aceitam pagamento do cartão Carrefour. Mas, como a senhora vai pagar com dinheiro, qualquer agência bancária aceita o pagamento. Onde a senhora trabalha?
-- Trabalho no Sacolão da Vila Sônia. Mas lá não tem lotérica.
-- A senhora tem alguma barraca de frutas ou verduras lá no Sacolão?
-- Não, eu sou provadora.
-- Provadora? Do que?
-- A empresa que eu trabalho tem diversas barracas de pamonha pela cidade, pamonha doce ou salgada. E eu provo a pamonha para poder liberar para as vendas. Cada dia eu trabalho em um lugar.
O meu espanto pela ignorância de saber que existia essa profissão, provadora de pamonha, foi muito grande. Comecei a gostar da empresa, que para garantir a qualidade das suas pamonhas, contratava provadoras.
Ela percebeu meu espanto e continuou:
-- Sou provadora de café também. Mas no momento não estou provando café. Apenas pamonha.
-- Que coisa boa! E como é sua relação com a empresa? Eles te pagam como? Por dia, por lote, como é o seu pagamento?
-- Nada disso. Sou registrada. Carteira assinada e tudo mais, todos os direitos, 13º, férias, FGTS. Eu trabalho com muita satisfação nessa empresa. Provando pamonhas.
E nós dois caímos na risada.
Fiquei pensando que eu gostaria de ficar provando pamonhas. Como seria o treinamento para passar no teste de provador de pamonhas?
Mas, desisti de perguntar pois não poderia ficar provando pamonhas por aí, devido ao risco de aumento na taxa de glicose.
Fiquei feliz de saber que uma empresa que fabrica pamonhas garante a qualidade de seus produtos e registra seus funcionários, nesta época de redução de direitos e de flexibilização nas relações de trabalho.
Nem tudo está perdido!”