REDES

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

ALERTA DE DESTRUIÇÃO DO SESC - BRASIL




Danilo Miranda Fonte -Revista Cult


Danilo Miranda , diretor regional do Sesc, alerta em carta pública a proposta de Paulo Guedes (suposto Ministro da Economia do Governo -ainda não empossado de Bolsonaro) em retirar módulos do sistema S.

Na carta-abaixo-ele aponta  o perigo em enfraquecer ou anular : Sebrae, Sesc, Sesi, Senai ,entre  outras.
Tal propositura seria derrotar uma das ações mais populares de Educação Permanente que se esparrama em  todo Brasil.Seria negar direito à Cultura em suas modulações de linguagem  que permite ao trabalhador e aos cidadãos, como todo, uma participação ativa no contexto sócio-cultural do Brasil.

O sistema S  não pode se reduzir ao caráter  apenas técnico, pois com isto  não  informa, não  inclui os cidadãos dentro das linguagens culturais vivas  do país, especialemnte no campo das Artes. Em ocorrendo, negará, surrupiará  o caráter democrático da cultura e formação dos indivíduos no exercício  de agentes culturais e fruidores da cultura.
O Sesc constituiu-se modelo de ações culturais fortes imitadas  nas iniciativas públicas :municipais. estaduais, assim como federais.
Paulo Vasconcelos


Carta de Danilo Miranda- SESC
"Caros amigos e parceiros do SESC:
Gostaria de compartilhar com todos vocês o risco a que o SESC está exposto neste momento. Talvez já tenham tomado conhecimento pela imprensa: o governo federal lançou medidas para melhoria da formação técnica dos jovens brasileiros que, do modo como estão sendo propostas, por mais bem intencionadas que sejam, constituem ameaça de uma intervenção do Estado em uma entidade privada.
O projeto, em resumo, pretende rever a distribuição dos recursos do impropriamente chamado Sistema S. Determina que boa parte da arrecadação dessas entidades seja remanejada para um novo Fundo destinado à formação técnica. O fato, porém, é que as entidades do chamado Sistema S são em si resultado de Fundos já criados, lá nos anos 40, em parte, com a mesma finalidade.
O remanejamento dos recursos desses Fundos para outro novo Fundo, no entanto, implicará na restrição drástica da diversidade e do alcance da reconhecida ação do SESC, em prejuízo da educação permanente promovida diariamente a seus milhares de freqüentadores assíduos. Diante desse quadro, sinto que é meu dever dirigir-me uma vez mais a vocês, sobretudo porque estou seguro do valor desta instituição. A melhor maneira de conferir o significado de sua ação é vivenciar o dia-a-dia nas unidades (atualmente são 31, somente no Estado de São Paulo); ouvir o relato dos freqüentadores sobre a importância do SESC em suas vidas e para suas famílias; estar e usar os equipamentos e instalações de primeira qualidade, abertos a todos os estratos sociais, e participar das inúmeras atividades que abrangem um amplo arco de interesses e necessidades, reunindo um público extremamente diversificado.
Acredito que todos vocês já tiveram essa oportunidade. São, portanto, testemunhas da natureza beneficamente eficaz, engajadamente eficiente e profundamente educativa do trabalho que o SESC desenvolve há mais de 61 anos. Esse patrimônio não pode ser sacrificado no altar de prioridades transitórias, em nome das quais se engendra um prejuízo incalculável ao país. Tornar a Educação meramente técnica, burocrática e pragmática, dissociando-a do universo simbólico, subjetivo, crítico e criativo, cerne da Ação Cultural, é um evidente retrocesso, fruto de visão flagrantemente obscurantista.
Certo de que compreenderão a gravidade dessa perspectiva, escrevo a vocês, formadores de opinião, representantes de classes, artistas, pensadores, amigos e parceiros do SESC para que se manifestem, pelos meios ao seu alcance, em prol da continuidade de nosso trabalho. Um projeto que, afinal, construímos juntos."
Danilo Santos de Miranda
Diretor Regional do SESC SÃO PAULO

Nenhum comentário: