quinta-feira, 10 de julho de 2008

Nuno Ramos ataca Bienal de SP no "Provocações"

O vazio da Bienal se reflete nas patotas ligadas aa rte em S Paulo o que determina a falsa produção de S. Paulo, e nemse estende a uma visão ampla da produção do Pías, mas ela, a BIENAL que ser este retrato, que não pode.PACV


Nuno Ramos ataca Bienal de SP no "Provocações"
Publicidade
da Folha de S.Paulo

Um dos mais brilhantes artistas da sua geração, o paulistano Nuno Ramos é o "alvo" de Antonio Abujamra no programa "Provocações", exibido hoje na TV Cultura, às 23h40.

Ramos não é de se esquivar de polêmicas, e, por isso, um dos pontos altos do programa é quando ele critica a 28ª Bienal de SP, mais conhecida como "Bienal do vazio" e que começa em outubro próximo, qualificando de "um pouco besta" ao se referir à conceituação do evento ser formatada mais em razão do esgotamento de seu modelo institucional do que à uma conceituação original.

"Daqui a pouco vão falar do Heidegger, da Mira Schendel", diz ele, lembrando de como o vazio era uma questão importante para o filósofo alemão e para a artista suíço-brasileira.

Ramos, assim, torna pública uma crítica comum dentro do meio artístico, sugerindo que a tradicional exposição pudesse ser adiada e repensada, em razão de sua profunda crise, sendo efetivamente realizada daqui a dois anos.

"Mas, pelo que li, já há 40 artistas", conta ele, contudo ressaltando que, com isso, possa surgir alguma boa resposta estética. O artista também destaca a contribuição da crítica em sua obra, em especial a de nomes como Alberto Tassinari e Rodrigo Naves, e lembra de seus textos sobre futebol, entre outros assuntos. (MG)

Nenhum comentário: