sexta-feira, 6 de novembro de 2009

"Raul Solnado, uma vida feliz", um documentário

http://dn.sapo.pt/cartaz/cinema/interior.aspx?content_id=1408014

O documentário "Raul Solnado, Uma vida feliz", que Patrícia Vasconcelos está a rodar, visitará ou recordará os espaços percorridos pelo actor e aqueles que ele foi moldando ao longo da carreira.

A Sociedade Guilherme Cossul, onde o actor se estreou como amador em 1947 e onde deu aulas de teatro quase até morrer; o Maxime, onde em 1951, a convite de José Viana, participou no espectáculo "Sol da Meia-noite" e se estreou profissionalmente; o Parque Mayer, em que foram muitos os elencos de revista que Solnado integrou, são alguns dos locais revisitados no percurso.
O Cine-Teatro Capitólio, de que Raul Solnado foi empresário nos anos 1960, ainda que por pouco tempo, e ao qual a autarquia de Lisboa atribuiu recentemente o nome do actor, e o Teatro Villaret, fundado e dirigido pelo actor de 1964 a 1970, são também recordados no documentário.
No dia em que a Lusa entrevistou a realizadora, as filmagens decorriam no Villaret. A frase-lema de Solnado, "Façam o favor de ser felizes!", foi cumprida por todos os que falaram sobre o actor.
Contaram-se histórias do homem "tímido, bom e sempre presente para os amigos nas horas más", do actor, rememorou-se o "Zip-Zip" e invocou-se a "coragem" com que Solnado afrontou a censura e o poder político antes do 25 de Abril de 1974.
Um dos episódios - contado por quem assistiu e nele participou - reporta-se a um espectáculo protagonizado naquela sala por Raul Solnado, ao qual assistia o então Presidente da República Américo Thomaz que, a meio do espectáculo, estava a ler um jornal.
O actor apercebeu-se, mas continuou a representar. No dia seguinte mandou um funcionário do teatro - o ponto da altura - entregar pessoalmente na Presidência da República uma edição do vespertino "Diário de Lisboa" com um bilhete para o Presidente "para o caso de ele ir assistir nessa noite a outra peça de teatro".
São histórias como esta que Patrícia Vasconcelos pretende descobrir e revelar nos próximos documentários que pretende realizar. Adelaide João e Fernanda Borsatti serão as próximas, conclui.

Nenhum comentário: