sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A escola - A velharia e o desdém do Governo Estadual e Municipal

A tarefa de educar parece-me esquecida, no seu sentido novo, entre o governo e nós cidadãos.

A escola vem produzindo um sujeito, que além de não ter suporte para uma boa leitura e , portanto, de cultura, ,o pensamento é esquálido , naturalmente

Há um modismo das tecnologias- da Web, em que se dedica a ela lutas e lutas em prol de uma cidadania digital?

Mas o que é isso?

Cidadania, pra começo de conversa é outra coisa, e isto se implica em um modo multifatorial, em que se confrontam , entre outras coisas, o direito a trabalho, alimentação, saúde, segurança, ler escrever, de participar politicamente.Se não temos isto, será que a tal Web fará esta cidadania, como?

Ela, a Web, é assessoria, mas não é fundamental, passará a ser quando nós cidadãos estirparmos a miséria, a fome,da comida e da cultura, do conhecimento, aí sim, ela será veículo.

A Web é instrumento do neoliberalismo, mas nem por isso podemos deixar de torcer seu nariz para o que de bom pode ela nos dar, no seu contraditório.A Web é disciplina, controle do sujeito, é publicidade e marketing, sobretudo.


A escola além de não prezar pelo letramento, é uma escola morta, sem cor, sem atualidade, sem projetos culturais, sem biblioteca de qualidade, sem contemporaneidade de músicas, discotecas, de ensino de artes plásticas, de galerias- pequenas,sem exposições que chamem à população a ver, participar,sem o ensino da dança, sem um forum de personalidades , de diversos setores da sociedade, que confabulem com a mesma.

Não há musica na escola, não há videos, cinema feiras de trocas de livros, de dvds, de games, nada, nada!!!!!!!!!!!!!

Estamos em tempos do audiovisual e a escola está muda e surda!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O professor , no geral, é uma figura do século passado, encostado a ditames metodológicos e culturais parados no tempo, claro, grande parte, senão a maioria, resultado de um salário de fome,em que não se pode consumir os bens da indústria cultura, e, mais, sem uma supervisão dinâmica, multidisciplinar.

O capitalismo do concurso vestibular,e o ensino técnico, estrangulou a cultura, reduzindo os conhecimentos aos bordões que se toca, nas provas das universidades públicas, sim , porque nas particulares, salvo, alguns raros cursos, quase todos entram e o que se vê é a miséria da língua nossa, o pensamento utilitário capitalista, capitaneado pelo apenas -QUERO , APENAS SABER FAZER.
Se a produção editorial , em sua atualidade- da diversidade de gêneros-desde os HQs, a livros de arte, romance, contos , dvds,ainda não chegou a escola, a Tv a cabo, muito menos, o cinema idem, como se falar da internet?

Necessário, claro que ela é , mas é preciso sabermos conciliar o macro sistema capitalista educacional, ao mínimo que uma educação necessita, e alavancarmos a educação por outros instrumentais, como a rede mundial de computadores, ou concomitantemente,mas precisarmos rever esta escola de velhas de cabeças- feitas, em grande parte por um cristianismo barato, tosco, que imperra o verbo antigo, num conhecimento que não propicia quiçá a releitura dos velhos livros , como a bíblia.

Os professores pregam um evangelho do além, mas se esquecem que dentro do seu próprio cristianismo pode está sendo preparando as fogueiras , do seu inferno cristão, para consumir seu corpo e pensamento, face a não humanidade que não tem fluxo em sua educação proposta ao jovens.

Que sol tem estas escolas, para jovens que a procuram para ali se dourarem de conhecimento, alegria, vitalidade e formação?

Nenhum comentário: