sábado, 30 de janeiro de 2010

China diz que controlo da Net "não é restrição à liberdade"

Jornal de Notícias PT hoje
2010-01-25
Governo chinês defende que as suas leis sobre a Internet "não têm nada a ver com restrições à liberdade", rejeitando as recentes críticas da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton.

"Diferentes países regulam a Internet de diferentes maneiras. Os regulamentos da China demonstraram adequar-se ás condições nacionais e estão de acordo com a prática da maioria dos países", disse um porta-voz do governo citado pela agência noticiosa oficial chinesa.

As leis chinesas "proíbem explicitamente a divulgação de informação que incite à subversão do poder de Estado, à violência e ao terrorismo ou que inclua conteúdos pornográficos".

"A China tem toda a legitimidade para tratar destes conteúdos ilegais e perniciosos. Isto não tem nada a ver com alegadas restrições à liberdade na Internet", acrescentou.

Na quinta-feira passada, ao discursar sobre a liberdade na Internet, Hillary Clinton disse que houve "um crescimento nas ameaças ao livre fluxo de informação" em 2009, nomeadamente na China. Egipto, Vietname e Uzbequistão.

A secretária de Estado norte-americana elogiou a atitude da Google, que ameaçou sair da China em sinal de protesto contra o controlo do governo e alegados ciber-ataques chineses.

No dia 12 de Janeiro passado, um vice-presidente da Google, David Drummond, disse que a empresa e pelo menos 20 outras firmas foram alvos de "sofisticados ciber-ataques", numa aparente tentativa de penetrar nas contas de email de activistas de direitos humanos espalhados pelo mundo.

"Estes ataques e a vigilância que eles evidenciam (...) levaram-nos a concluir que devemos rever a viabilidade das nossas operações comerciais na China", escreveu David Drummond no blogue oficial da empresa.

"Sites" como o You Tube e o Facebook estão bloqueados e quaisquer pesquisas no sobre os chamados "3T" (Tiananmen,Tibet e Taiwan) são também minuciosamente filtradas.

O número de chineses ligados à Internet atingiu os 384 milhões no final de 2009.

Segundo estatísticas oficiais, há 3,68 milhões de websites e mais de 200 milhões de blogues na China.

A própria Google lançou em 2006 um site em chinês, que detém cerca de 30 por cento do mercado local.

Nenhum comentário: